Sobre a EXPRECI

Segundo o Saresp, Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo, somente 7,6% dos alunos que concluíram o Ensino Médio na região do Vale do Paraíba em 2012 apresentavam nível adequado de conhecimento em Ciências. A dificuldade da rede pública de ensino do Estado mais rico do Brasil em gerar profissionais para as áreas de Ciências e Tecnologia se evidencia com os demais resultados: 42,3% dos alunos apresentaram apenas o nível básico e 49,6% apresentaram desempenho abaixo do básico.

Além disso, realizando-se uma pesquisa sobre a participação das escolas da região em feiras como a FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia), nos últimos anos, constatou-se que há uma representatividade regional muito pequena nesses eventos. Mesmo a FEBRACE possuindo outras feiras regionais afiliadas espalhadas pelo Brasil inteiro, tendo o direito de indicar seus melhores projetos para serem diretamente finalistas da sua mostra de projetos, não existe nenhuma feira na região que esteja afiliada.

Nesse intuito, tentando reverter essa situação e criando possibilidades para que os jovens tenham acesso ao ensino de Ciências e, sendo a FEG uma partição de uma universidade renomada, foi criada, então, uma iniciativa que visa à promoção de uma exposição regional periódica que tenha qualidade suficiente para se afiliar à FEBRACE e tenha seus projetos finalistas junto aos projetos finalistas da própria FEBRACE, os quais são escolhidos para participar da ISEF (International Science and Engineering Fair), Feira Internacional de Ciências e Engenharia realizada anualmente, em maio, nos EUA.

Nesse sentido, o projeto envolve atividades de caráter educativo, científico e tecnológico junto à comunidade (Campus da UNESP, escolas públicas e privadas, e sociedade que visitará a exposição) com ações planejadas de forma a estimular os estudantes de ensino fundamental e médio a se interessarem por atividades científicas e, quiçá, pela engenharia.

Tem-se, então, que a EXPRECI pode ser dividida em duas vertentes: a orientação anual de projetos de alunos do ensino público por meio de uma equipe de monitores (alunos de graduação ou pós-graduação da FEG) denominada PROMEX (PROgrama de Mentoria da EXpreci); e a mostra de projetos finalistas, sendo o evento propriamente dito, onde alunos, de qualquer escola da região, podem submeter seus trabalhos para a equipe avaliadora do programa.

Sendo assim, a exposição a ser realizada possuirá características, regulamentos e desafios específicos. Isso estimulará os estudantes de ensino fundamental e médio a interagirem com diferentes áreas do conhecimento, de modo a aumentar o interesse e a motivação dos alunos nas aulas. Além disso, o projeto aprimora a capacidade técnica de uma equipe de estudantes de graduação que exercem o papel de monitores e desenvolve diversas habilidades pessoais nos mesmos, visto que esses terão integração direta com os outros estudantes e professores de ensino básico.

Ademais, durante a exposição, professores e estudantes do ensino básico entrarão em contato com professores e estudantes de ensino universitário e com a comunidade visitante da exposição, divulgando os trabalhos de investigação executados ao longo do ano. Essa integração permitirá que o projeto atinja seu principal objetivo: disseminar a cultura de investigação científica através da exposição dos trabalhos à comunidade, permitindo um diálogo entre as escolas e universidades do Vale do Paraíba.

Com isso, os melhores projetos da exposição receberão um prêmio e serão motivados a participar da FEBRACE.